Demonstração

É normal o gestor de logística se preocupar com os processos do início ao fim – desde o momento da produção até a entrega ao cliente. Esse cuidado precisa ser ainda maior quando se lida com produtos perecíveis, pois qualquer erro pode gerar a perda das mercadorias. Por isso, o cuidado no transporte de alimentos também é uma etapa que não pode ficar de fora do planejamento logístico.

Qualquer falha durante o transporte ou na temperatura dos alimentos pode gerar perda de qualidade nos itens e um pedido de devolução do cliente. Então, como evitar que isso aconteça? A seguir, apresentamos quais são os principais cuidados que se deve ter no transporte dessas mercadorias.

Quais são as regras impostas pela legislação para o transporte de alimentos?

A legislação brasileira tem normas específicas para o transporte de produtos perecíveis. Por isso, o gestor de logística precisa conhecer bem as regras e também verificar se a transportadora tem as condições adequadas para levar os produtos.

A Portaria 326 da Vigilância Sanitária estabelece as condições higiênico-sanitárias para a fabricação dos produtos e também orienta sobre os cuidados no transporte de alimentos para evitar a contaminação ou proliferação de micro-organismos. As operações de carga e descarga, por exemplo, devem ser efetuadas fora do ambiente de fabricação das mercadorias como forma de evitar a contaminação do ar e dos produtos. 

A Resolução 275 da Anvisa também repassa orientações para as boas práticas de manipulação, armazenamento e transporte de alimentos. Entre elas estão a limpeza do veículo e o uso de cobertura. 

Quais são os fatores de atenção no transporte dessas mercadorias?

Para ajudá-lo nesse processo logístico, nós preparamos uma lista com os principais cuidados no transporte de alimentos. Veja:

Cuidados com o veículo

A legislação exige uma atenção especial ao veículo utilizado para o transporte de produtos perecíveis. Entre eles estão:

  • a limpeza do caminhão;
  • uso de cobertura;
  • separação entre o condutor e a carga;
  • o caminhão precisa ter estrados e caixas plásticas para armazenar bem os alimentos;
  • apresentação do certificado de vistoria;
  • vedação do piso do caminhão para evitar o vazamento de líquidos.

Atenção às indicações da etiqueta

Cada mercadoria exige um cuidado diferente, principalmente quando se trata de alimentos. Por isso, é essencial observar as instruções contidas na etiqueta sobre a temperatura adequada para armazenamento e o prazo de validade.

Documentação apropriada

O motorista também precisa levar junto a documentação específica para o transporte de alimentos. Para saber exatamente quais são as regras, o mais indicado é acompanhar as publicações de portarias da Anvisa, pois eventualmente podem ocorrer mudanças.

Empilhamento adequado

Outro fator de atenção na hora de organizar os produtos dentro do caminhão é o coeficiente de empilhamento. Cada embalagem apresenta um valor máximo e um erro nesse processo também pode prejudicar a embalagem ou a qualidade da carga, e isso afeta a venda direta ao consumidor.

Monitoramento da temperatura

O cuidado deve ser redobrado quando se trata da temperatura durante o transporte de alimentos. Dependendo do tipo do produto, as mudanças podem ocasionar a proliferação de bactérias e a perda das mercadorias.

A melhor forma de evitar que isso aconteça é com o monitoramento da temperatura do início ao fim da viagem. Alguns equipamentos modernos já podem ser instalados junto às peças de refrigeração para emitir alertas quando há alterações na temperatura. Assim, o motorista e o gestor de logística conseguem atuar em conjunto para evitar a perda da carga.

Atenção durante a carga e descarga

Você cuidou de tudo desde o início do processo logístico até a escolha da transportadora. Então, não dá para cometer erros no momento da carga e descarga, certo? Aqui a regra é simples:

  • o manuseio precisa seguir as orientações de higiene e segurança dos alimentos;
  • é necessário ter cuidado na hora de empilhar os produtos para evitar o rompimento das embalagens;
  • o gestor deve fazer o acompanhamento da temperatura do início ao fim do processo;
  • os alimentos não devem ser expostos ao sol, calor ou umidade.

Agora é só seguir as boas práticas para o transporte de alimentos para evitar contaminações e perdas de mercadorias. Quer aprender um pouco mais sobre essa área? Conheça as vantagens de usar a tecnologia na indústria!


Caroline Dallacorte

Engenheira de Alimentos
Mestre e Doutoranda em Tecnologia e Gestão da Inovação
Consultora na área de qualidade, inovação e produtividade.

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *